sábado, 15 de abril de 2017

Antes das lágrimas secarem

O mundo acelera sua rotação, já anoiteceu.

Eu encontro um pedaço de papel com qualquer coisa que me desorienta.

No passado, as brincadeiras nas quais um dia acreditei.

Eu precisava acreditar em qualquer coisa.

Num segundo, a chance se foi, e tentei fingir que não perdi.

Eram tantas as fugas, nem sempre divertidas para mim.

A vigília era tola, um somatório de horas inúteis.

Antes das lágrimas secarem, todo fim de dia era o fim do mundo.

Esforços e desgastes se foram, imaginações nunca foram reais.

Atrás de nossos passos, as pontes vão sendo queimadas.

Logo à frente, uma nova chance para desperdiçar.

Mais pontes para queimar.

Eis a liberdade, que dança, corre e foge.

E nós aqui, prisioneiros dessa busca incessante, sempre à procura dela.  

Nenhum comentário: