sábado, 11 de março de 2017

O fim e o começo

O brilho de uma única estrela ilumina todo o ambiente.

Cada centímetro perdido é fundamental e desimportante.

Ganho meu espaço, perco-o logo em seguida.

Congela-se a tolice de um momento indesejado.

Resta a obrigação da resposta que não se quer dar.

Permaneço em meu lugar, incólume.

Viro de vez a ampulheta, não tenho tempo a perder.

Assim é, assim tem que ser.

Ainda não morri, apenas tento não respirar.

É o fim, é o começo. 

Nenhum comentário: