terça-feira, 14 de março de 2017

Nas reticências dos anseios

Vidas viram fumaça todos os dias.

São brutais as escolhas que ninguém teve.

No silêncio, o ceticismo asfixia a fé.

Os nós se apertam, os destinos ficam à mercê da escuridão.

O amanhã é um alívio necessário.

Nas reticências dos anseios, a esperança de que o máximo seja suficiente.

As correntes são restos de um banquete cruel e devastador.

Dos céus pode vir a resposta, dos céus pode vir o suspiro da libertação.

Enfim, num abraço está a paz e o milagre de um amor verdadeiro.

Nenhum comentário: