quinta-feira, 30 de março de 2017

Manhã rotineira

Manhã rotineira, todos os tesouros na janela.

Os sons são pontuais, ainda há gente sonhando.

Há vida, há um novo dia.

Saio para caminhar e aprender.

Simplesmente seguindo, eu chego, eu me perco.

Talvez eu não tenha nada para aprender, mas tenho tanto a descobrir.

As verdades se escondem no absurdo.

Talvez o mundo acabe mais uma vez, mas as crianças continuam brincando.

Quem poderá dizer que elas estão erradas?

É mais uma manhã rotineira, e estamos bem aqui.

Posso sentir todas as dores, todos os nós cegos nas gargantas dessa gente.

É mais uma manhã rotineira, logo o trem chega para nos levar.

Posso sentir todas as pazes que reinam nessa nossa simplicidade.

domingo, 26 de março de 2017

Lembretes na pele

Numa lágrima, rio que corre pelos poros, eu me diluo.  

O vento que bate no meu rosto parece me acusar, mas ele só faz uma promessa.

Os lugares pelos quais caminhamos, todos continuam tão bonitos.

De alguma forma, ainda estamos presentes em cada um deles.

Eu me preencho, eu choro, eu sorrio, eu sou um doce sentimento.

Nem tudo é claro, nem tudo é certo.

Seria tão melhor se assim fosse.

Mas cada passo vale a pena, tenha certeza.

Os cortes viram cicatrizes, as cicatrizes viram lembretes na pele.

Em minhas mãos, a transformação contínua de dor em deleite, e de deleite em dor.

Não há como saber o verdadeiro sabor de um sem ter experimentado o outro.

Numa vida que vem, numa vida que se vai, somos um milagre permanente.

Encontramos então a paz no exato momento em que deixamos de procurá-la.

E quando sabemos que não temos mais tempo a perder, passamos a ter todo o tempo do mundo.

sexta-feira, 24 de março de 2017

Nossas palavras

Nossas palavras se olham de longe.

Nossas palavras se aproximam.

Nossas palavras se atraem reciprocamente.

Nossas palavras brincam como se fossem crianças correndo no campo.

Nossas palavras respiram devagar ao pé do ouvido.

Nossas palavras se abraçam, se agarram, se engalfinham.

Nossas palavras se desviam, se afastam, se juntam, se acariciam.

Nossas palavras dançam, entram em sincronia.

Nossas palavras se beijam, se mordem, se fundem.

Nossas palavras fazem amor e se deliciam.

Nossas palavras se completam, escrevendo lindas frases, contando inesquecíveis histórias.

terça-feira, 21 de março de 2017

Doce andarilho

Caía a noite, o velho homem veio me falar de dor.

Era tão sábio, era tão tolo.

Ele me falou de tudo que quis, de tudo que sentiu.

Viveu tantas coisas, aquele velho homem.

Tanto amor ele sentiu, tantas vezes ele morreu.

Aos poucos, aquele velho homem foi o máximo que poderia ser.

Queimou, queimou, queimou em seus próprios infernos.

Andou pelo paraíso com uma deliciosa brisa tocando seu rosto.

Ele se deu por completo, ele perdeu tudo.

Aquele velho homem se perdeu, aquele velho homem aprendeu.

Ele vaga pelas ruas, guarda todas as riquezas no peito.

Tão grande era seu coração, tão acolhedoras eram suas palavras.

Aquele velho homem sabia amar, e por isso tornou-se refém da solidão.

Era um doce andarilho, que muito chorou, que tudo sentiu, que um tanto sorriu.

E ele errou, e ele cresceu, e ele viveu.

Nada teria valido a pena se não tivesse sido exatamente como aconteceu.

segunda-feira, 20 de março de 2017

Pedaços de alma

Tantas vezes eu me perdi na estrada escura.

Sim, eu sempre segui o meu coração, mesmo que ninguém quisesse segui-lo comigo.

Já prendi a respiração inúmeras vezes, mas como não respirar mais?

Sim, a solidão quase me trucidou  até que eu conversasse com ela e a entendesse.

Seguro uma rosa, corto meus dedos, sigo em frente.

Sim, ainda ter sangue nas veias é uma dádiva difícil de explicar.

As árvores ganharam vida e me enforcaram quando caminhei pela noite.

Sim, eu prossegui como se nada tivesse acontecido.

Egos e palavras parecem se diluir com rapidez assustadora.

Sim, eu dou importância para as coisas que ninguém vê pelo caminho.

E tudo que é inteiro é violentado, o que se quebra se torna mais presente.

Mas o que são pedaços de alma espalhados no chão, sem essência alguma, sem qualquer importância?

O que são pedaços de alma espalhados no chão, sem identidade nenhuma, sem qualquer esperança?

E no chão, os cacos podem machucar, mas isso é mero detalhe.

Somos melhores não sendo nós mesmos.

Somos melhores sendo piores.

Somos melhores não sendo nada. 

domingo, 19 de março de 2017

Satélite do seu encanto

Garota, vejo você brilhar e me fascino com seus movimentos.

É tão linda a forma como você sorri!

Eu me torno satélite do seu encanto, um admirador de tudo que você é.

Minha pele sente a sua, fico completo na sua presença.

E a cada despedida, meu coração se parte em mil pedaços.

Minha alma é uma ilha em busca de amor.

Muitas coisas lá fora precisam ser melhor compreendidas.

Mas o que eu sinto quando estou com você não precisa ser entendido.

Em seu abraço, eu desfaço o nó que tenho na garganta.

Posso respirar, posso ser um pouco da sua luz.

É só assim que tudo o que faço pode valer a pena.

sexta-feira, 17 de março de 2017

Um tolo ao seu lado

Por você eu me desenrolo, eu me desenvolvo.

Olhe bem para mim, converse com os meus olhos.

O que estou sentindo é tão verdadeiro, sorria com o meu sorriso.

Tanto se passou, por tanto nós passamos.

Seja minha paz, seja minha oração de todas as manhãs.

Sinta minha respiração acelerada, pegue minha mão trêmula de felicidade.

Caminhe comigo pelo campo, deixe-me colocar uma flor sobre sua orelha.

Talvez eu esteja sonhando, mas não, eu não quero acordar.

Estou preenchido, nunca havia estado em tal estado.

Deixe-me ser um tolo ao seu lado, deixe-me dormir no seu colo.

Por você eu posso enfrentar gigantes e moinhos de vento.

O interminável cinza preencheu-se de cores intensas e brilhantes.

E minha retina experimenta uma nova sensação, tão bonita.

Vejo então algo que sempre busquei e já tinha desistido de encontrar.

Talvez o interminável cinza finalmente tenha se acabado...

quinta-feira, 16 de março de 2017

O infinito já não parece tão distante

Você surge e me faz encontrar a mim mesmo.

Acredite, eu estava tão perdido até você chegar!

Tenho seu cheiro no travesseiro, a mais doce prova de que não estou sonhando.

Dentre todas as horas, escolho aquelas em que estou com você.

O infinito já não parece tão distante, minha estrela me ilumina em plena noite.

Estou viajando pela sua pele, não tenho medo de me perder.

Em meu peito, vibra uma canção que você sussurra em meus ouvidos.

E então eu fecho meus olhos, eu me entrego, eu mergulho em sua alma.

Porque você me acalma, me traz paz, e me mostra a verdadeira vida no brilho intenso do seu olhar.   

quarta-feira, 15 de março de 2017

Maravilhosamente real

Mergulho até as profundezas das suas águas.

A direção nem tem mais importância enquanto sinto o seu frescor.

Em seu aconchego, alcanço a minha plenitude.

Você é tão maravilhosamente real!

terça-feira, 14 de março de 2017

Nas reticências dos anseios

Vidas viram fumaça todos os dias.

São brutais as escolhas que ninguém teve.

No silêncio, o ceticismo asfixia a fé.

Os nós se apertam, os destinos ficam à mercê da escuridão.

O amanhã é um alívio necessário.

Nas reticências dos anseios, a esperança de que o máximo seja suficiente.

As correntes são restos de um banquete cruel e devastador.

Dos céus pode vir a resposta, dos céus pode vir o suspiro da libertação.

Enfim, num abraço está a paz e o milagre de um amor verdadeiro.

segunda-feira, 13 de março de 2017

Resquícios

Era cedo da manhã.

Acordei, me olhei no espelho, o rosto ainda tomado pelo sono.

As pálpebras pesavam.

Eu me observava despretensiosamente, quando me deparei com a mais grata surpresa.

Entre os pêlos da minha barba, estavam lá resquícios do seu batom rosa.

Um singelo e delicioso modo de me lembrar do quanto eu estava feliz.

domingo, 12 de março de 2017

Longa queda livre

O depois é sempre um coringa, toda uma vida num estalar de dedos.

Esperanças pulsam e transbordam, acalmo meu coração.

Existir é desfrutar sem medo uma longa queda livre até que cheguemos ao nosso chão definitivo.

As sensações se intercalam, como fazer para que as melhores não se percam?

Na solidão, o silêncio é inevitável.

Estamos asfixiando nossos espíritos por uma questão de sobrevivência.

Sinais opostos nas placas da estrada desorientam nossas almas.

Sinto sede, a água congela antes que eu a beba.

Deixo meus pedaços largados do jeito que estão, como se fossem componentes pensados de um cenário perfeito.

Com sorrisos estampados no rosto, pessoas tristes se ausentam de suas próprias vidas.

Eu me ocupo buscando significados onde me dizem que não há significado algum.

Entenda, sem eles eu não poderia viver, apenas vegetaria, tanto quanto tantos que vejo lá fora.

Eu não guardo minha flor, eu aguardo minha flor, para que meu dia cinza possa voltar a ficar em cores.

sábado, 11 de março de 2017

O fim e o começo

O brilho de uma única estrela ilumina todo o ambiente.

Cada centímetro perdido é fundamental e desimportante.

Ganho meu espaço, perco-o logo em seguida.

Congela-se a tolice de um momento indesejado.

Resta a obrigação da resposta que não se quer dar.

Permaneço em meu lugar, incólume.

Viro de vez a ampulheta, não tenho tempo a perder.

Assim é, assim tem que ser.

Ainda não morri, apenas tento não respirar.

É o fim, é o começo. 

quinta-feira, 9 de março de 2017

Minha linda garota

Minha linda garota, tire seus sapatos, corra até mim e me abrace forte.

Aqueles dias tristes de quem não sabe amar já passaram.

Minha linda garota, desabroche seu sorriso para que eu fique admirado.

Com você, sinto o universo correndo em minhas veias.

Minha linda garota, ilumine meu olhar e minha existência.

É tão maravilhoso esse agora, uma pintura para a eternidade.

Minha linda garota, deixe-me beijar seu coração.

O meu está pulsando forte, entregue a esse momento de sentimento puro.

Minha linda garota, seja tudo o que quiser ser.

Seremos dois pontinhos felizes que qualquer satélite poderá flagrar brilhando nesse planeta.

quarta-feira, 8 de março de 2017

Cores intocáveis no horizonte

Em cada paralelepípedo no qual piso, marco um pouco da minha história.

Meu contraste entre o doce e o amargo dá um sentido a tudo.

No céu azul, nas nuvens brancas, carrego minha plenitude.

Não há nada que me assuste no caminho.

Eu posso ganhar asas e voar, ainda que o mundo se acabe.

São tantas cores intocáveis no horizonte, faço delas minha meta.

A grandeza da vida está em cada dia que eu vivo.

Na simplicidade dos meus sentimentos e sensações encontro meu verdadeiro lar. 

terça-feira, 7 de março de 2017

Caminhos ricos e direções infinitas

No bolso, carrego uma bússola.

Os caminhos são ricos, as direções são infinitas.

Todos os anseios dessa gente que ama tanto cabem no mundo em que vivemos?

Nós somos anacrônicos, e esse é um motivo de imensa satisfação.

As certezas são racionadas, seriam elas tão desnecessárias?

Nossas almas se agigantam em nome de um ímpeto que não nos deixa indiferentes.

Podemos fazer da verdade a luz a nos guiar na escuridão da ignorância.

Estruturas inabaláveis tornam-se tão insignificantes diante da força da nossa natureza!

Nós já fizemos a nossa escolha, ela jamais teria sido diferente.

A apatia que não tira nada do lugar seria fácil e medíocre demais.

segunda-feira, 6 de março de 2017

O milagre que surge da simplicidade

Tantos belos cenários ficaram guardados na memória.

No sinal fechado, a criança faz malabarismo com corações partidos.

Sentimentos de plástico terminam derretendo com o calor que guardamos no peito.

Até que surgem aqueles que não mais derretem ou se destroem.

É aí que encontramos a verdade que nos traz a mais genuína felicidade. 

Na caixa de maneiras ocas de sentir, há aquela preciosidade maciça.

E em minha sorte, encontro todo o amor do mundo.

A gratidão floresce na magia de um rosto que faz a existência mais leve.

De mãos dadas, desviamos sem qualquer esforço dos tiros e bombas que a tanta gente assustam.

E no caminho, não há mais qualquer resquício de medo.

O ar nos pulmões, o peito em disparada, tudo ganha um ar sagrado, poético e solene.

Somos o milagre que surge da simplicidade, de uma manhã que nada precisa prometer.

O que é apenas é, e vive, e responde sem necessitar de perguntas.

Todas as coisas se completam, e dançam com as suas respectivas naturezas.

quarta-feira, 1 de março de 2017

Jardineiro tolo

Tristeza, fale comigo.

Você surge quando eu menos espero.

Impiedosamente pisoteia meu belo jardim.

Eu sou um jardineiro tolo que precisa amar.

Tristeza, meu silêncio, meu vazio.

Venha aqui matar mais uma parte de mim.

Arranje um outro disfarce e me engane outra vez.

Eu sou a tatuagem de chiclete que desbota com a fricção das unhas. 

Tristeza, traga-me um trago forte que me faça esquecer, que me faça desmaiar.

Deixe-me sangrar com os espinhos da mais bela flor.

Porque toda forma de alegria é sempre prólogo da sua aparição avassaladora.

E que eu me acostume de vez com a sua presença.

E que a constância dessa dor torne-se o próprio bálsamo para ela.