terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Singelo pedido

Folhas em branco aguardam tudo o que ainda há para ser vivido.

Nós borbulhamos e deixamos o vento na janela cantarolar uma canção qualquer.

Logo vem a chuva com sua intensa calmaria.

Todos os ponteiros param em homenagem a essa sublime sensação.

O piso de sempre se recobre com as luzes de uma nova noite.

Toda a riqueza é vã quando todos os sentidos estão atravessando o espírito.

A existência se congela como se fosse um quadro, emoldurado pelas nossas mais doces bobagens.

Em cada contorno revela-se um pouco mais do que somos e sempre negamos.

Aos céus entregamos nosso singelo pedido de um amanhã sagrado em sua plenitude.

Nenhum comentário: