sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Prorrogação do nada

Nada posso enxergar agora, mas isso não tem a menor importância.

De olhos fechados, eu posso ver melhor.

Havia um tempo para desperdiçar, estou agilizando a vida.

Quem ganhou o direito de rastejar na sujeira tem algo para comemorar?

De lado a lado, um risco que se abre falsamente e é incapaz de me enganar.

Justificativas baratas na manga são a prorrogação do nada.

Talvez eu mereça um pouco mais do que isso.

Quebram-se as letras que você não usa, tão obsoletas quanto sua existência.

Não há necessidade de fingir que existe qualquer necessidade para preencher esse vazio.

Pode ser mais útil permanecer inerte, não preciso caminhar nos espinhos que você colocou no caminho.

E tudo como está é tudo que você merece.

Então continue fingindo satisfação com o que tem.

Sempre haverá quem esteja disposto a pagar caro por um engano.

Nenhum comentário: