quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Desfaçatez e ignorância

A carne é guerra, e as flores murcharam.

No chão, o misto de dor e prazer que nos suprime a consciência.

Mais sal na ferida, façamos arder o agora.

Tantos egos inflados se esvaziaram como balões, mísseis no meio do salão.

A vontade é potência e frustração, mudando tudo a cada segundo.

Pedras jamais acariciaram ninguém, então para que continuar mentindo?

As solas dos meus tênis grudam no chão quando tudo acaba. 

Desfaçatez e ignorância são faces da mesma moeda.

Uma coleção de desejos abjetos reveste-se de inocente ilusão.

Por mais que corramos, somos sempre engolidos.

E nunca fomos adeptos desse sacrifício profano que faz todas as almas evaporarem.

Mas isso não tem mais qualquer importância.

Nenhum comentário: