sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

No meio da noite

Você acordou no meio da noite, nunca tinha visto aquilo.

Os olhos brilharam com a lua e as estrelas.

Havia alguém que você amava e que amava você.

Você acordou no meio da noite, era para ser uma sessão monótona de insônia.

Mas teve a mais doce epifania.

A sensação era presente, sem recorrer a memórias, sem se apegar ao futuro. 

Você acordou no meio da noite, não haveria nada mais do que o ruído dos carros vindo da rua.

Dessa vez, era possível ouvir uma respiração que parecia suave e irresistível melodia.

Havia alguém que não iria embora sem sequer dizer o nome.

Você acordou no meio da noite, com sede insuportável.

Na geladeira não há amor, não há respostas entre mostardas, maioneses, tomates e iogurtes.

Era apenas mais um sonho, era apenas o travesseiro com a luz certa que vinha de fora.

No fim, tudo sempre é alucinação.

No fim, tudo sempre chega ao fim, mesmo o que nem chegou a começar.

Nenhum comentário: