quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Há sempre uma nova camada

Estou mergulhando, tantas vezes já me afoguei. 

Descubro tanta beleza no fundo do oceano, temo seus perigos.

Nós ficamos expostos e à mercê de qualquer acaso.

O inferno está no que não existe, no que nunca será.

Dentro da mente, lateja uma derrota que não se pode admitir.

Mas estamos vencendo, e desperdiçando nosso tempo com uma dor virtual.

Eu me vigio, desviando das palavras e tentando não ser derrubado outra vez.

Guardo o caos numa gaveta, não a abro jamais, mesmo com os ruídos.

Para muitas pessoas a felicidade resumiu-se a breves instantes de ignorância.

Então não me julgue, apenas me entenda.

Porque há sempre uma nova camada.

Há sempre uma nova camada.

Há sempre uma nova camada, e isso parece não ter fim.  

4 comentários:

Helena G.S.R disse...

Enxergar além, não é fácil para muitas pessoas. Mas a verdade é que tudo pode ser completamente diferente quando visto mais de perto.

Beijão!
Blog: *** Caos ***

Bruno Mello Souza disse...

Verdade, Helena!

Muito obrigado pela visita, é sempre muito bom te receber por aqui.

Beijão!

Sara com Cafe disse...

Não é tão simples, mas pode ser precioso.
abraço afetuoso.

feliz 2017.

Bruno Mello Souza disse...

Muito obrigado pela visita, Sara.

Um grande abraço e feliz 2017.