segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Desperdício tremendo

Queime seu estômago enquanto o dia passa.

Minutos e horas são um desperdício tremendo, você caminha para lá e para cá.

Cada lacuna deixada pelo silêncio é uma ameaça.

E o que seus olhos não vêem ofusca sua visão, em túneis intermináveis de agonia.

Tudo mudou, e dando de ombros você nem tenta pensar.

Sobre a sua cabeça, o perigo se confirma.

Não é nada diferente do esperado, o seu mundo permanece exatamente igual.

A culpa é imperceptível, talvez ela não exista.

Você aí, sozinho e calado, é imperceptível.

Talvez você não exista.   

Nenhum comentário: