sábado, 24 de dezembro de 2016

O anseio pelo passado é inútil

Diante de meus olhos, tudo que não perdi.

Não há mais o que querer, o anseio pelo passado é inútil.

Misturamos a decepção com um gostinho de vitória.

Não é nada bonito, mas tantas coisas na vida não são.

Alguns sonhos não se realizam para que portas melhores se abram.

A realidade se mostra mais promissora, há coisas que só o tempo é capaz de mostrar.

Importâncias tolas de outrora agora não significam nada.

Um doce silêncio me embala, desconheço a próxima canção, e esse é o meu maior alento.

Posso abrir as portas e as janelas, posso respirar e sair para a rua caminhando a esmo.

Todas as possibilidades, enfim, são um grande presente.

2 comentários:

B. disse...

É um sentimento de alívio quando realmente entendemos (quando a vida nos mostra) o porquê daquela situação passada ter acontecido daquela maneira. Sem falar da sensação de desprendimento pós compreensão e elaboração do momento passado. Feito isso, é foco no presente e no que pode ser feito no futuro, como você mesmo deixou implícito no texto.

Bruno Mello Souza disse...

B. querida, quanto tempo!

Muito obrigado pela visita, é sempre muito bom te receber por aqui.

Beijão e bom fim de ano!