domingo, 11 de dezembro de 2016

Mesma velha rua

Um dia de euforia plena.

Alguns dias de silêncio angustiante.

O dia da ruptura, agressiva mas reticente, que traz em suas reticências o triplo de interrogações.

E assim, tudo segue da mesma maneira.

Em que momento a realidade tornou-se quimera?

Em que instante o êxtase tornou-se decepção?

Sigo o mesmo, a caminhar e caminhar e caminhar pela mesma velha rua.

E tudo que ouço são meus próprios passos... 

Nenhum comentário: