quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Interminável e perturbadora queda

Tantas sensações não podem ser expressas pelas minhas palavras quando anoitece.

Um espírito voa livre, à procura de sua plenitude utópica.

As desesperanças reconstroem aquilo que somos, em versões mais ricas de nós mesmos.

Sim, ainda tento acreditar nisso.

Talvez um coração partido em mil pedaços possa amar mil vezes mais.

Talvez algum dia os céus tenham algo a dizer para me guiar.

As lamentações dos abandonados pertencem a cada um de nós.

E de repente todas as verdades se tornaram motivo para furor.

As luzes piscam e confundem, tornando tudo lento e incômodo.

Eu jamais pertenci às cenas que vejo e aos sorrisos tolos tão desejáveis.

O dia chega para piedosamente acabar com tudo, desligando as desilusões da tomada.

Volto a mim mesmo e ao sono que lateja na cabeça nessa interminável e perturbadora fuga.

É minha interminável e perturbadora queda. 

Nenhum comentário: