segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Destinos que desconheço

Caminhar parece tão simples e fácil.

Mas como você faz quando o peito aperta?

Vivemos de movimentos mecânicos, a mecânica também pode falhar.

Em minhas mãos está o futuro e todos os destinos que desconheço.

Posso passar reto sem olhar para os lados, o que isso vai mudar?

Estamos fugindo de tudo aquilo que não queremos ser ou fazer.

Mas sabemos para onde estamos indo?

Ao fim da estrada, aquilo que seremos, que desconhecemos, que valorizamos.

E passamos de maneira tão blasé pelo que somos agora, como se isso não tivesse nenhuma importância.

O alívio aguardado pode ser uma mentira, e pode ser que hoje estejamos aliviados sem saber.

Nenhum comentário: