quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Momentos em preto e branco

O vento traz movimento à paz e à guerra de nossos velhos cenários.

Já passamos por tanta coisa, mas sempre parece pouco.

Às vezes, o silêncio não é ausência, pois sabemos contemplar.

Um dia, eu tentei ser uma pessoa melhor, mas repeti tantos erros.

Acredite, eu gostaria de ter dado mais de mim.

Apenas agradeço pelo tanto de cuidado e carinho.

E sei que não aprendi a ser tão doce, é muito o que ainda preciso aprender.

Meu jeito estranho jamais foi uma negação, nunca deixei de ter consciência de que sou um privilegiado.

Apesar do meu humor, não duvide do meu amor e das promessas que faço a mim mesmo.

Tudo o que vivemos me fez chegar aqui exatamente dessa maneira.

O abraço, a sorte, os momentos em preto e branco não morreram.

Nada do que fizemos deixou de ser preenchido pelos melhores sentimentos e intenções. 

E a ternura nunca se perdeu, mesmo diante dos nossos excessos.

Sou bem mais do que pareço ser, e sei que pareço ser cada vez menos.

Quando engolimos o nosso choro, somos a mesma coisa.

É nessas horas que somos plenos e não percebemos.

Às vezes sinto um medo profundo de perder o que eu nunca soube ter.

E então eu rezo para que quando eu saiba, esse aprendizado não tenha se tornado obsoleto.

Nenhum comentário: