domingo, 2 de outubro de 2016

Conveniência de fotos desbotadas

O mau odor de suas palavras contamina todo o nosso espaço.

Douram-se as pílulas que envenenarão nossos estômagos.

Meus olhos estão atentos e eu sei bem o que vejo.

Você, de joelhos, implora para ser igual.

Nas ruas, mais um zumbi apodrecido caminha sem rumo.

Não há surpresa alguma para quem conhece as escolhas que fizemos.

A fantasia para os horrores é uma conveniência de fotos desbotadas.

Não há dignidade no fundo do vaso sanitário.

A tentativa vã de enobrecer a sujeira já não tem lugar neste romance.

A paz deste final não pode mais ser abalada pelos grunhidos que perderam totalmente seu significado.

Nenhum comentário: