domingo, 25 de setembro de 2016

Sem referências

A areia levanta e encobre a visão.

Busquei um pouco de água, mas tudo saiu do lugar.

Já não consigo encontrá-la, por onde quer que eu ande.  

Estou perdido e sem referências nesse deserto.

Apago minhas memórias e confio nos meus instintos.

Mas meus instintos geralmente estão errados.

O sonho virou tédio e desconforto, expectativa rasgada pela lâmina da realidade.

Você nunca fez qualquer esforço para que nossas solidões dessem certo.

E eu lutei sozinho para ser alguém melhor, sem qualquer efeito prático.

Podemos dormir mais cedo para fingir que tudo está bem.

Eu nunca soube onde você estava de verdade...

Nenhum comentário: