terça-feira, 27 de setembro de 2016

O fim da esperança, o começo da paz

Folhas verdes queimam rapidamente, acabou-se o alimento que sobrava.

Sonhos e anseios não ficam parados esperando enquanto você se perde por aí.

Ter uma saída, ou a perspectiva de uma perspectiva, parece algo tão distante.

Alguma frase mágica pode mudar a sorte e fazer uma nova estrela brilhar no meio das nuvens.

As angústias misturam-se no vazio, as promessas ficam cada vez mais risíveis.

Mas sem as promessas não sobra mais nada para dar sentido a essa vida.

Portas e janelas se fecham, a noite chegou e não tenho para onde ir.

O fim da esperança pode ser o começo da paz, mesmo que no silêncio e na escuridão.

Não há mais nada aqui, o hoje está morto e sepultado junto com tantos ontens.

Mas o amanhã já nasce como um paciente terminal...

Nenhum comentário: