quarta-feira, 7 de setembro de 2016

8 anos de Dilemas Cotidianos- 9ª posição: O poeta ébrio

O nono melhor texto do especial de oitavo aniversário do DC foi publicado em 7 de março deste ano.

............................................................................

O poeta ébrio põe-se a escrever.

Na mesa, a cerveja gelada, à espera de mais um gole desesperado.

O poeta ébrio deixa derramar-se, deixa desamarrar-se.

Interroga o que vem da alma, exclama o que vem do álcool.

O poeta ébrio corta seu peito e o abre sem pudor.

Faz uma autópsia de si mesmo.

O poeta ébrio congela e derrete emoções.

Estão todas servidas à mesa, em perfeito desequilíbrio.

O poeta ébrio faz amor com as palavras, acaricia cada letra, pare sua obra.

E já não lhe importa se as rimas são ricas ou pobres.

Sua poesia não tem classe social.

Nenhum comentário: