domingo, 28 de agosto de 2016

Insossa ficção

Alguns toques e estímulos podem ser extremamente ilusórios.

São tantos os planos que fazemos sobre bases inexistentes, que sempre fazemos papel de tolos.

Nas entrelinhas, somente restaram certezas incertas.

Perseveramos enquanto apostamos sem ter quaisquer garantias.

Sempre há mais e mais tempo, até que o tempo tenha se acabado.

Várias páginas depois, nada mudou para melhor nessa insossa ficção.

O silêncio traz a angústia, e com ela as respostas que nos forçamos a compreender.

Eis um sabor que não me satisfaz diante de tudo que um dia cheguei a sonhar.

No chão árido da realidade, caminho de pés descalços.

Não ficaram marcas ou pegadas, ainda que eu saiba pelo resto dos meus dias por onde eu já andei.

E se um dia eu já vivi, jamais poderei provar para mim mesmo, e aprendi a aceitar esse fato. 

Nenhum comentário: