segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Apenas para sair da rotina

O sorriso de plástico expressa apenas o desespero de quem não ama e nunca se amou.

Nem tudo que brilha tem valor, e não adianta se esconder.

Saio à rua, e lá alguns sentem descontroladamente.

Saio à rua, e lá outros jamais souberam o que deveriam sentir.

As respostas, quando vêm, vêm por meios que não conseguimos traduzir.

E se tudo for brincadeira, e se todas as palavras forem apenas ruídos balbuciados sem significado algum?

Já não há amor para conquistar, apenas medo de perder o que nunca se teve.

As maiores dores desses tempos não são sentidas, são apenas imaginadas.

A tinta do jornal solta-se contaminando a alma.

E se os destinos se movessem pelo céu, e se nossos signos se rebelassem, apenas para sair da rotina?

Se tudo for invenção, quero pelo menos o direito de co-autoria sobre tudo que vivo.

Já tenho as paletas e os pinceis, preciso apenas começar a pintar, mesmo sem jamais ter aprendido.  

Nenhum comentário: