sexta-feira, 5 de agosto de 2016

A perfeita ordem dessa melodia

A observação silenciosa é aliada nas esquinas hostis dessas ruas.

O desenho formado pela fumaça geralmente é apenas aquilo que queremos ver.

Ninguém sabe qual é o caminho certo, um corte que sangra pode arder e deleitar.

Tantas pessoas estão comprando as inseguranças alheias para si mesmas.

Ensinar o que é a liberdade é uma verdadeira afronta.

Todos desejam descansar em sua própria paz, mas poucos descobriram como fazê-lo.

Não tenho nada para explicar, e não quero explicação alguma.

A perfeita ordem dessa melodia um dia foi uma anarquia de notas que alguém resolveu juntar.

Finja contentamento, expresse convincentemente aquilo que não consegue sentir.

A satisfação vem de fora, daquilo que os outros pensam.

Mas eu resolvi que não vou mais me importar se você se importa com isso.

Tudo está tão calmo que eu poderia gritar apenas para me distrair.

Preciso de um copo d'água para tentar engolir essa fúria que me engasga.

A mediocridade que não precisa implorar por ser amada não me chama a atenção.

No fim das contas, as coisas têm apenas o valor que nós mesmos damos a elas.

E nada mais terá relevância quando tiver chegado ao fim. 

Nenhum comentário: