segunda-feira, 11 de julho de 2016

O brilho e o vexame

O jeito certo de ser não lhe parece o suficiente.

Precisa acelerar a respiração e deixar o tempo se esvair.

Nem todas as noites são feitas de sonhos.

Um simples descuido pode tornar o mundo um caos.

Tudo fica bem quando o rosto consegue descansar.

É tão interessante cavar buracos dentro da própria alma.

Abrem-se as cortinas, mas o palco é permanentemente escorregadio.

O brilho e o vexame flertam e se beijam descaradamente.

Flutua e caminha sem rumo.

Adoraria saber qual o destino que sobrou para si.   

Nenhum comentário: