quarta-feira, 11 de maio de 2016

Um pouco mais amargo

Você passa a corda pelo meu pescoço.

Não tenho nenhum pedido a fazer.

Você não aceita que eu diga ou pense.

Estou aqui e me recuso a me render.

Você espuma e mergulha na insanidade.

Mas minha alma não está à venda.

Você não consegue deixar de mentir ou agredir.

O remédio sempre pode ser um pouco mais amargo.

Ficamos e passamos, inertes com o vento esbofeteando o rosto.

E permanecemos contemplando o destino que dança, canta e nos provoca.

Olhando sem ver, escutando sem ouvir, falando sem dizer...  

Nenhum comentário: