terça-feira, 3 de maio de 2016

Simeone merece o título da Champions League

A semana começou com o futebol nos presenteando com fatos extraordinários. Ontem, o pequeno Leicester City confirmou-se como improvável Campeão Inglês, por antecipação, ganhando nos pontos corridos de adversários muito mais ricos. É impossível ver as imagens da festa dos Foxes e não se emocionar abrindo um largo sorriso. Simplesmente sensacional.

Hoje, o Atlético de Madrid do Simeone escreveu mais uma dessas páginas mostrando que o esporte bretão vive, vibra, pulsa. A mim, particularmente, proporciona um prazer ainda maior, por ser meu segundo clube do coração, aquele que adotei no período em que vivi na Espanha. Durante a tarde, sofri quase como se fosse o Inter. Mas o Atlético tem como proposta de jogo sofrer, atua consciente do sofrimento inerente à sua estratégia e, assim, ensina quem por ele torce, a também sofrer. 

Esta incrível equipe, que sabe sofrer, eliminou, sofrendo, o poderosíssimo Bayern de Munique e chegou à final da Champions League. Antes, havia eliminado o Barcelona. Agora, o Real Madrid que se vire para reeditar a final de 2014. O Atléti está lá.

O trabalho de Simeone no Colchonero é não menos do que gigantesco. Com muito menos recursos do que Real e Barça, consegue competir na Liga Espanhola. Foi campeão dois anos atrás. Agora, só perde para o time catalão nos critérios. Dois anos atrás ainda esteve a minutinhos de ser Campeão da Europa. Perdeu no apagar das luzes.

O Atlético perdeu muitos jogadores. Daquele time já não há mais Courtois, Miranda, Diego Costa, Arda Turan... E Diego Simeone conseguiu reconstruí-lo de maneira quase inacreditável. E, se a final da Liga dos Campeões para o Atléti parecia um feito irreplicável, lá foi Simeone levá-lo, mais uma vez, à grande decisão europeia. Não é pouca coisa. 

O time do Vicente Calderón possui um sistema defensivo simplesmente espetacular. O melhor do mundo. Ver o Atléti em campo é quase como ver um organismo em perfeito funcionamento, cada um no seu lugar, cumprindo função para o funcionamento do todo, e compensação de posicionamento sempre que qualquer pecinha sai do lugar. É uma aula tática. A eficiência colchonera é comovente. A história que está sendo escrita, é magnífica.

Esse trabalho do cholo Simeone à frente da equipe madrilenha o credencia como melhor treinador do planeta na atualidade. Simeone merece, com seu Atlético de Madrid, ser Campeão Europeu. Merece demais. De preferência, diante do Real Madrid, num mega clássico, numa revanche maravilhosa pela amarga derrota de 2014. Seria incrível.       

Nenhum comentário: