domingo, 10 de abril de 2016

Canto da sereia

Eu ouvi um chamado, estava apenas dentro da minha cabeça.

Tudo parecia ser tão bom e promissor.

Apenas esperava a minha vez de rir de tudo isso.

Mas ela não chegou, ela se foi abanando de longe.

Deixei-me congelar por completo.

Hoje sou eu que observo os movimentos à distância.

Apostei errado em dias que nunca estiveram em minhas mãos.

Mas agora eu estou olhando para a frente, deixando para trás tudo que quis ficar.

Eu escutei o canto da sereia, eu cheguei às profundezas de mim mesmo, eu me afoguei, eu me inundei, eu me afundei.

Fico aqui apenas com minhas lembranças vagas, sobrevivente de minha própria tolice.

Navego com todo o cuidado, até encontrar terra firme.

Não sei quando, não sei em que direção.

Mas navego, e navego, e navego.

Nenhum comentário: