quarta-feira, 9 de março de 2016

O mesmo cheiro

Há um novo julgamento logo ali à frente.

As pessoas se exterminam enquanto esperam a degola.

Mas eu não me importo, prefiro olhar para as paredes sujas.

Troco a angústia pelo tédio do vazio que me toma.

Posso dormir enquanto o silêncio promete a dor.

E quando for chamado, estarei pronto para não dizer nada.

No fim, as coisas têm a importância que damos a elas.

E quando tudo acabar, teremos todos o mesmo cheiro.

Mesmo que lhe irrite, essa é a verdade.

Mesmo que lhe incomode, essa é a realidade. 

Nenhum comentário: