terça-feira, 22 de março de 2016

Difícil crer

Eu não vejo o amanhã, mas já sinto da dor que lhe pertence.

Estou sempre em busca, não sei ao certo de quê.

Tudo parece nublar, e me levar entre as incertezas.

Estava precisando respirar e deixar a onda levar o que não me serve.

A mente estava uma bagunça sem fim.

Nem sempre é fácil, às vezes fica difícil crer.

E as paredes, elas parecem me espremer.

Nem sempre é fácil apegar-se ao que a gente não tem.

Mas ainda bem que existe o seu sorriso para me aliviar e fazer bem.

Nenhum comentário: