sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Velhos e novos tempos

Nos velhos tempos, olhávamos para o mar pensando na volta.

Sim, havia esperança de que tudo mudaria por algum milagre.

As dores do mundo se diluíam em nossas risadas irresponsáveis.

Os ponteiros no relógio não faziam a menor diferença.

E nenhuma tempestade era capaz de nos assustar.

Nesses novos tempos, olhamos para o nada sem perspectivas.

Não, não há mágica que mude o que temos e o que somos.

As nossas dores mesquinhas não passam pela garganta.

Os ponteiros do relógio são observadores frios e impiedosos.

E nenhum sol brilhante é capaz de tornar nossos dias menos cinzentos.  

2 comentários:

CÉU disse...

A esperança, agora, é ínfima, contudo creio que "isso" terá um desfecho.

Bom fim de semana.

Beijos, Bruno!

Bruno Mello Souza disse...

Bom fim de semana pra ti também, Céu!

Beijos.