terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Sonhos numa folha de papel

Tenta direcionar suas atenções para todas as coisas ao mesmo tempo.

Ela tem medo de perder seus sonhos em qualquer esquina.

É doce o gosto que ela tem, e talvez por isso não consiga senti-lo em nada.

Ela desenha seus sonhos numa folha de papel.

O mundo gira muito mais rápido do que consegue acompanhar.

Ela tem todas as cores, e tornou-se escuridão.

Como não desperdiçar a vida, se tudo o que é já foi?

Ela é toda amor e frustração, andando sem um destino.

Ainda respira, ainda insiste.

Ela não quer nada para amanhã, o amanhã é a cenoura à frente do burro.

O hoje é tudo que tem, abre o peito e fecha os olhos.

Ela se joga pela janela, ela é o silêncio e o vazio que o vento sopra sem que você enxergue.

Nenhum comentário: