domingo, 28 de fevereiro de 2016

Ausência de luz

Não há nada, não há ninguém.

Mas a escuridão é incerteza.

Espero até que tudo se estabilize, suando frio.

As pupilas se dilatam, não há nada para me preocupar.

Estou em segurança para andar e não cair.

Sempre há uma forma de se adaptar à ausência de luz.

Sempre podemos enxergar o caminho até a cama e o descanso.
  

Nenhum comentário: