domingo, 20 de dezembro de 2015

Liberte-se

Liberte-se.

Liberte-se de tudo o que lhe amputa o espírito.

Liberte-se do que querem que você pense, se você não pensa.

Liberte-se do que querem que você goste, se você não gosta. 

Liberte-se daquilo que querem que você engula, se você não engole.

Liberte-se de tudo que querem que você seja, se você não é.

Liberte-se.

Liberte-se das histórias que não lhe convencem.

Liberte-se das cartilhas, dos manuais.

Liberte-se daquilo em que querem que você acredite, se você não acredita.

Liberte-se do que lhe dizem que é bonito, se você acha feio.

Liberte-se do que lhe dizem que é certo, se você acha errado.

Liberte-se das necessidades que não são suas.

Liberte-se das lágrimas que não lhe pertencem.

Liberte-se das ilusões e dos sofrimentos.

Liberte-se de tudo que joga seus preciosos segundos pela janela.

Liberte-se de tudo que lhe violenta a alma.

Liberte-se! Liberte-se! Liberte-se!

Liberte-se do bom dia, se ele não for bom.

Liberte-se do açúcar, se estiver se sentindo amargo.

Liberte-se da calma, se ela for artificial.

Liberte-se da multidão, liberte-se de tudo aquilo que promete e não cumpre.

Liberte-se do que lhe frustra, liberte-se do que lhe rasga. 

Liberte-se, agora!

Liberte-se da roupa de que você não gosta.

Liberte-se daquilo que esperam de você, e deixe que esperem, e esperem, e esperem, se não for aquilo que move o seu coração.

Liberte-se do caminho que não lhe convence.

Liberte-se de tudo que é entregue pela metade.

Liberte-se de todos os quases que não lhe satisfazem.

Liberte-se! Liberte-se!

Liberte-se do carinho que corta e sangra, liberte-se do afeto que lhe engole e mata dia após dia. 

Liberte-se do seu ouro, se ele lhe escraviza.

Liberte-se da sua carne e do seu couro, se eles lhe limitam.

Liberte-se de tudo que lhe incomoda, liberte-se de tudo que lhe dá náuseas.

Liberte-se de tudo que lhe asfixia.

Liberte-se da fúria, liberte-se do amor, liberte-se da apatia, liberte-se da cura.

Liberte-se, permita-se voar como os pássaros.

Liberte-se e seja passageiro dos seus próprios sonhos.

Liberte-se do sorriso forçado, liberte-se até da gratidão por aquilo que não lhe faz sentir grato.

Liberte-se, liberte-se, liberte-se.

Liberte-se do silêncio, liberte-se das palavras. 

Liberte-se do desperdício, liberte-se dos gritos, liberte-se das dores.

Liberte-se, liberte-se, liberte-se.

Liberte-se de tudo, liberte-se das fronteiras que lhe impõem, liberte-se da prisão em que trancafiaram sua mente.

Liberte-se! Liberte-se! Liberte-se!

Liberte-se e viva consigo mesmo sua paixão, seu delírio, sua loucura.  

Liberte-se de tudo.

Apenas liberte-se.

E liberte-se até da liberdade proposta por quem lhe diz para se libertar, se assim você o quiser.

2 comentários:

Cristina Sousa disse...

Olá Bruno

Um grito de libertação "Liberte-se, permita-se voar como os pássaros."

Adorei

Um Feliz Natal.

Beijo

Bruno Mello Souza disse...

Obrigado pela visita, Cristina!

Feliz natal e volte sempre!

Beijo.