sábado, 26 de dezembro de 2015

Esperando por esperanças

Um olhar doce e triste, uma voz que expressa toda a inocência.

A vida é árdua cedo demais.

Todo pedido é um pedido, não existem escolhas para ela.

A garota espera que lhe dêem esperanças que são sonegadas todos os dias.

Estamos ocupados demais com nossos próprios narizes.

Nada é limpo, nada é justo quando não se tem um amanhã, e nem sequer um hoje.

Para ela é tanto, para nós é tão pouco, e ainda assim não nos importamos.

Mas todos estão de cabeça erguida e orgulhosos por jamais terem feito nada.

Mas todos estão com a desculpa pronta na ponta da língua para manterem suas consciências limpas.

O esquecimento é rápido, fácil e indolor.

E assim seguimos.

E assim ela segue.

Nas costas de uma criança, toda a carga de um mundo frio e distante que parece não ter sido feito para ela.

Nas costas de uma criança, todo o fardo pesado que ela jamais pediu para carregar.

E precisa resistir.

Precisa sobreviver.

Nenhum comentário: