terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Caos e ordem

Levando o mundo nas costas.

Carregando todas as amarguras, todos os anseios.

No peito, o coração, cansado.

Na pele, a marca do fogo do sol.

A liberdade parece uma promessa não cumprida.

Mas ela está presente no ar que respira.

Toda espera é mentirosa, é tempo perdido.

O caos é harmonia, a ordem é violência. 

O que dói tem vida.

Então ele deixa-se doer, deixa-se viver.

Nenhum comentário: