segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Encanto despercebido

Ela deixa mais um dia passar atravessando seus dedos.

O tempo não pode ser controlado, as horas são insuficientes.

Ela sente muitas coisas, mas o que ela sente não é bem entendido.

Talvez já tenha desistido, entregue à surdez e cegueira alheia.

Ela não é igual, ela é um encanto difícil de perceber.

Um abraço e um beijo podem fazê-la aflorar.

Ela se asfixia para perder sua consciência.

É a única forma de não perder tudo.

Ela se deixa ser esquecida.

Em sua aceitação, tenta se tornar ausência de dor.

Nenhum comentário: