sábado, 10 de outubro de 2015

Subindo e descendo escadas

Não sei que edifício é esse, nem como vim parar aqui.

Eu subo e desço escadas.

Não encontro porta alguma.

Eu perco as forças, eu grito.

Mas não estou certo de que alguém possa me ouvir.

Deixo o tempo passar, sem saber se é dia ou noite.

Deixo a vida correr, sem saber se sou jovem ou velho.

Ainda estou subindo e descendo escadas sem encontrar porta alguma.

O barulho só aumenta.

As coisas mudam de lugar.

Mas não há ninguém por aqui. 

Nenhum comentário: