terça-feira, 13 de outubro de 2015

Permanente ilusão

Você dorme em paz.

Mais um dia se passou, e não há mais nada para esperar.

Parece tão bom quando nada acontece.

A inércia permanece para esconder a verdade.

Sussurros nada dizem, apenas iludem.

E quem disse que a vida não é uma permanente ilusão?

A vela que derrete na mão não mostra o caminho.

Estamos num corredor que não termina.

Nas lágrimas, sua tolice.

Nos olhos, sua angústia.

E o que você sente pula, o que você sente lhe enforca.

No fim, todas as coisas estão nos mesmos lugares.

Águas calmas não lhe dão a resposta.

E afogam, e afogam, e afogam...

A brisa não diz para onde ir.

E queima, e queima, e queima...

Nenhum comentário: