quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Movimentos circulares

Em alguma fração de segundo está escondida a chave.

Ele está apenas engolindo, sem sentir sabor algum.

Distrações vão levando o tempo, não há fuga melhor.

São as mesmas coisas, o tédio infinito disfarçado de novidade.

Os homens estão ladrando, eles nunca esquecem.

Porque os movimentos são perfeitos e circulares, escravizando as mentes.

E as saídas oferecidas levam a um precipício sem fim.

Ele está desaprendendo a falar.

Ele está desaprendendo a pensar.

Ele está desaprendendo a andar.

Ele está desaprendendo a sentir.

Mas tudo está bem.

Tudo sempre fica bem.

Nenhum comentário: