sábado, 31 de outubro de 2015

Hipocondria emocional

Uma noite mal dormida é apenas reflexo do que não somos.

As dores estão em todos os lugares, menos aqui.

Mas isso não significa que elas não doam.

Sofremos dessa espécie de hipocondria emocional.

Ficamos reféns de fantasmas que só existem em nossas cabeças.

O ontem que talvez não tenha acontecido está presente, em permanente tortura.

O amanhã que possivelmente não acontecerá fica bem aqui, sussurrando coisas terríveis aos ouvidos.

E o hoje, o hoje é uma ausência que abre esse buraco que se deixa preencher pela angústia da existência.

Não há nada que possamos tocar, não há nada que possamos segurar em nossas mãos.

Tudo aquilo que amamos nos escapa o tempo todo.

E tudo que nos resta é a certeza da incerteza.

Porque em alguma esquina encontraremos uma nova tristeza para nos consolar.

Em algum beco estaremos nos escondendo, e parindo esperanças condenadas à morte.  

2 comentários:

CÉU disse...

Olha que, e para te falar com sinceridade, não sei qual das hipocondrias dói mais, se a física, se a emocional.
Creio k teu lúcido texto nos mostra bem, aliás na perfeição, aquilo que sentimos no plano da alma.
Adoro tua versatilidade na escrita, nunca perdendo, no entanto, o fio condutor.

Beijos, Bruno!

Bruno Mello Souza disse...

Muito obrigado pelas palavras, Céu.

Beijos.