sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Pequenas solidões e enormes anseios

Os dias nublados e chuvosos parecem intermináveis.

Se estou desatento, logo me deixo levar novamente na correnteza.

As coisas da vida deveriam ser muito mais simples.

Então por que está acontecendo esse estrago todo?

A cada tic-tac do relógio, surge um novo pensamento, um medo desesperado.

Todas as bobagens não anunciadas compõem um amanhã inalcançável.

Meu refúgio está sempre em suas palavras.

E se você mudar, eu ficarei sozinho esperando por este trem, para sempre.

Mas talvez eu esteja na estação errada, totalmente perdido.

Eu busco flores para lhe dar, eu temo que elas murchem no caminho.

A todo momento, peço perdão em silêncio.

Porque quando o dia acaba, tudo se torna extremamente pesado.

Entre pequenas solidões e enormes anseios, sou um batimento cardíaco irregular e descontrolado.

Deixo em meu travesseiro todos os devaneios de uma linda realidade paralela.

E fico em sintonia com o vazio da realidade que estou vivendo, para mais uma amostra deste vazio interminável.

Nenhum comentário: