quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Mais seu

Se você se vai, eu fico tão perdido aqui sozinho. 

Isso é um erro, sou o primeiro flagelado desse castigo.

Se você não me vê, meu reflexo desaparece do espelho.

Eu deixo de ser eu mesmo, eu deixo de existir.

Se você fica num lugar que não me pertence, eu choro e me destruo por dentro.

Estou me machucando por pensar demasiadamente em você.

Se você desaparece por um segundo, minha bússola entra em colapso.

Eu não posso mais confiar em nada que eu decida nesse espaço de tempo.

Eu olho para o outro lado enlouquecido de vontade de te olhar.

Porque eu sou mais seu a cada dia.

E assim eu não sou mais meu.

Eu sou o pensamento persistente, a marca do que não posso ver.

Eu sou mais seu a cada dia.

Sou colocado para fazer algo que não sei e não consigo.

E meus olhos insistem em marejar quando felizmente ninguém pode me observar. 

Eu sou mais seu a cada dia.

Mas não posso ser nada disso, então sou apenas o silêncio de uma madrugada de quereres asfixiados.

Eu não posso ser seu, eu preciso ser meu.

Mas não sei exatamente onde eu estou.   

Nenhum comentário: