terça-feira, 22 de setembro de 2015

Alguma pista no meio da poeira

Você cai de joelhos, pele ralada no chão.

E você está se acostumando com seus próprios tombos.

Um mundo novo espera com cores bem diferentes.

E a dor é apenas uma ilusão para que você perca seu tempo.

Eu já lhe disse que não tenho todas as respostas sobre a vida.

Mas posso tentar buscar alguma pista no meio da poeira.

Conheço as armadilhas, embora não tenha aprendido a evitá-las.

Apenas erga a sua cabeça e ria das coisas que lhe machucam.

Enlouquecer é a coisa mais sensata a se fazer.

Porque mesmo aqueles que lhe ensinaram como viver jamais aprenderam.

Você sabe que ainda vai chorar, você sabe que ainda vai morrer.

Então o que devemos fazer enquanto a hora não chega?

Desça o túnel, converse consigo, note toda desimportância dessa grande ilusão.

O que é todo o universo sem seus olhos para observá-lo?

E o que é toda riqueza quando o sono lhe consome?

Então volte para o dia de sol, flutue como se o milagre fosse possível.

E todos os erros estarão certos, e todo o desencontro fará sentido. 

Nenhum comentário: