domingo, 2 de agosto de 2015

Presença constante

As horas passam, só encontro rostos estranhos.

Vou vivendo a repetição daquilo que nunca vivi.

Todas as coisas mudam, eu permaneço.

Atravesso as eras, sou presença constante.

E mesmo o que parece fácil torna-se desafiante.

Os passos são metódicos, eu me violento.

Caminho de encontro aos meus instintos.

Tenho que ir me abandonando para sobreviver.

E talvez isso seja o que todos façam.

Talvez isso seja o que todos precisam fazer.

4 comentários:

CÉU disse...

Não sei se será, mas, pelo menos é uma defesa. Nada é constante, pke o mundo é composto de mudança e o k hoje é verdade, amanhã pode ser mentira. Bom te ler!
Boa semana.
Beijos.

Bruno Mello Souza disse...

Obrigado pela visita, Céu!

Boa semana pra ti também.

Beijos.

Alice Twins disse...

As pessoas mudam com o tempo..

Um abraço, Bruno.

http://alicetwins.blogspot.com.br/

Bruno Mello Souza disse...

Obrigado pela visita, Alice.

Abraço!