domingo, 23 de agosto de 2015

O céu de todas as coisas

Tudo está bonito, você não percebe a dor ao seu redor.

O canto dos pássaros inspira, abafa os gritos ao fundo.

Lindas são suas palavras, esperando pelos aplausos hipócritas, justificando uma ausência,

As coisas estão bem enquanto todos fingimos que isso faz algum sentido.

Voam as coisas que você ama, as coisas que você esquece.

Mas você ama tudo, esquece tudo.

E o céu de todas as coisas agora se confunde com o limbo e o inferno.

É assim que tudo se torna igual, que cada coisa se torna somente mais uma coisa.

Não há como satisfazer anseios assim, nunca haverá.

E o mundo continuará seu teatro sem fim, cheio de personagens sem sangue.  

Gente cega, que só enxerga o que quer.

Gente surda, que só ouve o que interessa.

Gente muda, que só fala o que os outros gostam de ouvir.

2 comentários:

Alice Twins disse...

O mundo está cheio de pessoas ausentes, principalmente em questão de amizade. As vezes você não encontra ninguém para conversar e os que você encontra simplesmente não estão disposto a nos ouvir.

Um beijo,

http://alicetwins.blogspot.com.br

Bruno Mello Souza disse...

Verdade, Alice.

Muito bom te receber por aqui!

Beijo.