quarta-feira, 15 de julho de 2015

Remador

Vou remando tranquilamente em meu caiaque.

A vista é absolutamente deslumbrante.

Eu não pensava que houvesse beleza assim no mundo.

Então, ávido por mais, vou remando e remando.

Agora, a correnteza está mais forte.

Os remos são inúteis, e sou levado em alta velocidade.

Tudo é vertigem.

Vivo um híbrido do medo mais aterrador com a empolgação mais intensa.

Não sei onde vou parar.

Não sei se é o fim de tudo.

Mas se for, terá valido a pena.

2 comentários:

CÉU disse...

É remando que chegamos a porto seguro. Final? Não, a vida é maravilhosa, apesar de tudo.
Bom fim de semana.
Beijos, Bruno!

Bruno Mello Souza disse...

Muito obrigado pela visita, Céu!

Bom fim de semana pra ti também.

Beijos.