quarta-feira, 22 de julho de 2015

Inexistência

A inexistência, um temor megalomaníaco.

A inexistência, uma interrogação persistente no fim da linha.

Na inexistência não há dor ou sofrimento.

Na inexistência não há amor ou alegria.

Na inexistência não há cor.

Na inexistência não há perversidade.

Na inexistência não há mágoas.

Na inexistência não há o doce sabor de um beijo cheio de sentimento.

A inexistência não é vida.

A inexistência não é morte.

A inexistência não é nada.

Inexistência, inexistência, inexistência...

Será que, afinal, a inexistência existe?

Nenhum comentário: