terça-feira, 9 de junho de 2015

Sonha(dor)

Deitei na cama.

E dormi.

Fui tudo o que queria.

Vivi tudo o que não podia.

Me deixei inundar por este amor cego e tolo.

Sonhei, e sonhei, e sonhei, os melhores sonhos.

E então acordei. 

No silêncio, suspirei.

E lamentei.

Sim, a gente sempre acorda.

Nenhum comentário: