sexta-feira, 8 de maio de 2015

Transformações

O olho no olho virou pensamento.

O pensamento virou aperto no peito.

O aperto no peito virou amor.

O amor virou dor.

A dor virou poesia.

2 comentários:

CÉU disse...

Olá, Bruno!

Tudo bem?

Que fabulosa sequência! Amor ter virado dor, só rima, mas não joga, não!

Bom fim de semana.

Abraço.

Bruno Mello Souza disse...

Muito obrigado, Céu!

Bom fim de semana pra ti também!