quinta-feira, 7 de maio de 2015

Multidão sonhadora

Eu caminho na multidão, e tudo que vejo são sonhos.

Sonhos, sonhos e sonhos.

Grandes, médios, pequenos...

Apenas sonhos.

Essa gente luta todos os dias contra a realidade.

Essa gente acorda todos os dias esperando pelo amanhã.

E quantos já morreram sonhando, esperando o dia que nunca chegou?

Aperte o que pulsa em meu peito até que pare de pulsar.

Talvez algum dia os sonhos sejam realidade.

Mas de que adianta ficar parado nessa estação, se o trem nunca passa?

Eu sou a esperança que você tenta ter.

Estou apenas andando, não fugindo.

Vou embora, talvez eu volte.

Vou embora, perseguindo algo que eu possa tocar.

Vou embora, talvez não volte.

Nenhum comentário: