sábado, 23 de maio de 2015

Doce tolice

Imersos em um sonho.

Abrimos as mãos.

Abrimos a alma.

Abrimos o coração.

A brisa inspira.

Que seja uma doce tolice.

Que seja um anseio irrealizável.

A amargura da realidade não tem mais lugar.

Aqui, a vontade de levantar.

Aqui, a resposta para tudo que desconforta.

Aqui, a alegria perdida.

Aqui, e só aqui, nosso escudo intransponível, protegendo-nos de todos os males.

Aqui, e só aqui, o amor que faz flutuar, mesmo que o mundo lá fora desabe.

2 comentários:

CÉU disse...

Olá, Bruno!

Não importa o k seja, porque o importante mesmo, é amar e sentir k está sendo amado, também.
Como sempre, adorei seu poema.

Boa semana.

Beijo.

Bruno Mello Souza disse...

Obrigado, Céu!

Beijo.